segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Redação Esportiva

Me disseram que, para meu site aparecer no Google, eu tenho que "linka-lo" a outro.

Bom aqui vai... pra quem ainda entra no blog. Visite www.redacaoesportiva.com

Redação Esportiva .... o futuro melhor site de esportes da internet heheheheh

Obrigado e a gente se encontra o redacaoesportiva .

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Bola em Jogo - Ao Vencedor, as batatas

Por Breno Marcos Rossi

Em semana cheia de polêmica envolvendo um dos grandes jogadores brasileiros e alguns travestis (polemicas que, como muitas outras, mancham ainda mãos a carreira de um jogador que poderia ser lembrado pelas glórias, mas acaba virando sinônimo de confusões), chegam ao fim os campeonatos estaduais pelo Brasil, e finalmente conhecemos os grandes campeões de cada local. Merecidos sim, já que chegaram até a final com muita raça e dedicação.

Começaremos pelo Sul do País, e também pela maior goleada. Não, não era futebol de salão, mas o Internacional acabou com o Juventude, e meteu nada mais nada menos que 8 gols. Aliás, esse time colorado vai dar trabalho no Nacional, viu.

No Paulistão, outro que não tomou conhecimento do adversário foi o Palmeiras. Atropelou a macaca, fazendo 5 a 0. Alex Mineiro fez 3, se tornou artilheiro isolado e ganhou a bagatela de 300 mil reais. Destaque para Marcos, que voltou a fechar o gol e teve novamente sua volta por cima... E sem polemicas. A comemoração foi inusitada. Alguns jogadores perderam suas madeixas, incluindo Valdívia, que há dez anos cultivava sua cabeleira, e hoje, terá que se acostumar com a cabeça raspada.

No Rio, o Flamengo, mais uma vez, bateu o Botafogo. Nada de chororo dessa vez. Vitória merecida, e despedida de Papai Joel, que irá treinar a África do Sul. Caio Jr é o novo técnico do rubro negro.

Itumbiara, pela primeira vez, é o vencedor goiano. Destaque para Basílio, que com 35 anos, joga melhor que muito garotão por ai. Deu passe para um gol e marcou dois, na vitória sobre o Goiás, por 3 a 1. Basílio, no jogo de ida, fez o único gol da partida também.

Vitória é Bicampeão baiano, por apenas 1 golzinho de diferença, já que teve os mesmos pontos que o Bahia. Emocionante.

Lá fora, novos campeões também. Bayern está no topo do Alemão, com Zé Roberto representando os brasileiros. Robinho e Marcelo são os brasileiros do outro campeão, o Real Madrid, agora pela Espanha.

Parabéns a todos os jogadores e clubes, que fizeram grandes planejamentos e merecem o posto que estão. Clubes que brigaram por títulos também nas próximas competições que participarem, porque não?
Aos outros, tomem de exemplo o melhor e o pior de cada vencedor, e construam um time competitivo, para darem muitas alegrias aos torcedores.




Termina aqui uma pequena parte da grande história do esporte. Dia 10, estréia o que será o maior e melhor site esportivo da internet, com a ajuda de vocês, é claro.

O Tá em Jogo migrará para o Redação Esportiva, e junto com ele, todos que ajudam e participam do blog. Confira dia 10, muitas novidades e interatividade na mais nova opção da rede de comunicações mundial.

AGUARDE....

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Bola Em Jogo – Paulista perto do final...

Por Breno Marcos Rossi

Antes de começar o post, quero mandar um beijo para o pessoal que sempre entra no blog. E me desculpar com todos, novamente, pela longa ausência.
Aline, Thais, Ana, Dani... Anderson, Victor, Fabio.
Obrigado a todos pela consideração e audiência.



Bom...
Chegaram as semifinais do Paulistão.
Guaratinguetá x Ponte Preta e Palmeiras x São Paulo.

O Corinthians vacilou na última rodada e perdeu a chance de mostrar que mudou, após a queda para a Série B. De quem é a culpa? O elenco é novo, muita gente não deveria nem vestir a camisa do Timão, e isso atrapalhou muito. Mano Menezes é um ótimo técnico, talvez um dos melhores da nova geração, mas foi covarde no último jogo. Precisava da vitória e não partiu pra cima. Portanto, que o estadual sirva de aviso e de experiência para o time de Parque São Jorge.
O Santos demorou e engrenou apenas no final. Já era tarde demais. Precisou vencer de todo mundo, e não teve fôlego para isso. Empatou com o Rio Claro e deu adeus a competição, mais cedo.
Já a Portuguesa tomou caminho inverso. Começou com tudo, e prometia lutar pelo titulo. Não teve força e decaiu muito nas ultimas rodadas.
Se fosse preciso escolher destaques para essa edição, seria Barueri e Mirassol. O primeiro quase se classificou para as semifinais, o segundo foi a pedra no sapato de muita gente durante o torneio. Alias parabéns ao Barueri, que vêm melhorando a cada ano, um dia chega lá.


Agora vamos às semifinais. Guaratinguetá surpreendeu e foi o melhor time da competição. O novato do futebol vai enfrentar o vovô da bola. E tem a vantagem.
Do outro lado, a polemica partida Palmeiras x São Paulo. Após um primeiro confronto que deu muito que falar, com punições e apitos duvidosos, agora é a vez dos estádios protagonizarem a briga.
O Palmeiras não quer jogar no Morumbi, que considera palco do São Paulo.
Está certíssimo.
Mas errou em uma coisa. O mando é da federação, e se a federação manda, o Verdão terá que acatar sim, afinal, assinou um documento no começo do campeonato, que constava tal informação.
Que fique de aprendizado para que, da próxima vez, não assine nada sem contestar. O mando de campo é importante sim, sempre é bom jogar em casa, com sua torcida e o campo que já está acostumado. Não é possível. Então que o mandante da partida decida como será o jogo. Se forem os dois no Morumbi, porque não o Palmeiras ficar com o melhor vestiário quando for mandatário? Ou ter as melhores entradas para o estádio e os melhores lugares a disposição?Ou mandar cobrir o símbolo do SPFC? Oras, tem mesmo que deixar o estádio com a cara do Palmeiras, pelo menos na hora do jogo.

Bom, para o São Paulo, essa polemica toda veio mais do que na hora, afinal, abafa um pouco as próprias polemicas, dos bastidores tricolor. O elenco já foi mais organizado, e menos encrenqueiro. Atualmente, quando não é Adriano causando problemas nos treinamentos, é Fábio Santos ou Carlos Alberto. Os bonzinhos deram lugar para os Bad Boys no Tricolor.
Quem sai perdendo é o São Paulo. E pode perder muito mais, com tudo isso que abala o time fora e dentro de campo.
Minha opinião? Guaratinguetá e Palmeiras passam. Mas Guaratinguetá será campeão. Ele merece, por tudo que fez no campeonato até hoje.


Estamos acompanhando e qualquer novidade, entramos no jogo e comentamos sobre a rodada.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Bola Parada - Começo do fim, início de um novo começo

Por Breno Marcos Rossi

A correria não para. Eu tento deixar o blog atualizado, mas está difícil. Afinal, isso é um bom sinal, no final das contas.
Significa que em breve, mas muito em breve, o melhor site de esportes estará no ar. E por mais que seja clichê, quem ganha é você, internauta.
Afinal, o site terá de tudo, e você terá participação importante nele também, lógico. Por enquanto, quanto mais longe fico do blog, mais perto estou do site.
O nascimento do novo portal, essencial para o esporte, está previsto para o começo do Brasileirão. É só esperar.

Enquanto isso, vocês internautas podem ouvir esse blogueiro e jornalista que vos fala, todos os dias, na Rádio DaCidade, am 1370 ou http://www.amdacidade.com.br . Boletins diários pela manhã, e informações mais completas no programa Diário do Futebol, das 22h às 00h.


Agora, vamos a uma pequena reflexão para a semana...

Não a nada como ser "bonito", não é??

"O segurança chegou e disse pro Ronaldo: 'Com licença, a moça ali falou que quer dar para o senhor, tem problema?'. A gente se esborrachou de rir. E ele: 'Manda entrar!'."
Luciano Huck, em entrevista à revista Playboy.

sábado, 22 de março de 2008

Bola Parada - Cabeçada a Francesa

Por Breno Marcos Rossi

Semana passada. Em São Paulo, tivemos a presença do carrasco do Brasil em Copas do Mundo, um dos maiores jogadores que já existiu, ídolo na França e no resto do mundo.
Zinedine Zidane veio e reinaugurou uma quadra na favela de Heliópolis, como parte do projeto para a Copa de 2014. Jogou bola com ex-craques como Rivellino, Mauro Silva e Paulo Sérgio. Deu coletiva para a imprensa. Enfim, marcou presença e encheu de noticias todos os jornais do país.
Na entrevista coletiva, não deu nenhuma declaração chocante, logicamente. Seguiu o protocolo e como todo jogador de futebol, seguiu a diplomacia e elogiou Ronaldo, a seleção canarinho, comentou que espera coisas boas da Copa de 2014.
Como todo sábado era dia de jogo nesse blog, e eu fiquei devendo alguns bons games para muita gente, vou colocar dois do francês

O primeiro, basta fazer o que Zizou fazia bem. Gols.
http://www.divertindo.com/jogo178.htm

O segundo, é um dos momentos mais marcantes da carreira do craque, e um dos mais divertidos também.
http://pt.gamegame.es/juego.php?id=7&tit=Jogo-Zidane-Head-Butt

Até breve.....

segunda-feira, 17 de março de 2008

Bola Parada - Toque Rápido

Por Breno Marcos Rossi

Milhares de projetos fazem com que eu me afaste um pouco desse blog, e os colaboradores também não andam ajudando (Onde está Pepe?). Mas sei que o pessoal entra e muita gente manda email pedindo para atualizar.
A todos vocês, minhas desculpas...
Vamos começar falando de futebol. Os estaduais andam chegando à reta final, e muita gente anda surpreendendo.
O Palmeiras, depois de 11 anos, venceu o São Paulo no Paulistão. E venceu bem. 4x1, com direito a três pênaltis bem batidos do verdão. E com direito a chororo de Valdívia.
Ficou feio pro império do morumbi.
O Santos acordou também, e conseguiu sua terceira vitória seguida no estadual. E continua sonhando com a difícil classificação.
O único que tropeçou foi o Corinthians, que empatou com o travesso moleque da rua Javari.
Mesmo assim, ainda acredito em três times do interior na semifinal, e apenas um grande. Resta saber qual deles.
No Rio, quebra de tabu também. O Botafogo se vingou da final da taça Guanabara e bateu o Flamengo, após 10 anos. Foi a vez do Rubro-negro perder a cabeça, e o jogo.
Agora, é se preocupar com Libertadores e Copa do Brasil, e depois retornar as atenções para os estaduais.
Na Formula 1, a primeira corrida surpreendeu pelas falhas de Massa e Raikkonen, e não pela vitória de Hamilton, e nem as atrapalhadas de Rubinho. Mas a temporada promete, viu.
Prometo tentar sempre dar atenção pra esse blog, pessoal. Minhas desculpas novamente. Sei que vocês prestigiam muito e estou longe de retribuir como merecem.
Mas em breve, teremos novidades. E o blog vai se transformar em um ótimo site.
Aguarde.

sábado, 8 de março de 2008

Bola Parada – Às mulheres, com carinho.

Por Breno Marcos Rossi

O esporte está longe de ser coisa de homem.

Ao contrário, a mulher tomou seu merecido espaço através dos tempos. Hoje em dia, é impossível contar quantas alegrias já tivemos com elas.
Vai ser difícil, mas tentaremos aqui lembrar de algumas ótimas esportistas, que embelezaram por onde passaram e nos deram muitas alegrias.

MARIA LENK - Uma pneumonia dupla foi responsável por incluir a natação na vida de Maria Lenk. Ela tinha 10 anos e o pai, Paul Lenk, acreditava que a prática do esporte poderia fortalecer a filha. Como não existiam piscinas em São Paulo, o aprendizado se deu em pleno rio Tietê, que ainda não estava poluído. Era o início da carreira mais brilhante e vitoriosa da natação feminina do Brasil. Ela foi a primeira sul-americana a participar das Olimpíadas. Em Los Angeles, em 1932, onde ganhou medalha de ouro. Maria Lenk bateu os recordes mundiais dos 200 e 400 metros peito em 1939. Sagrou-se campeã brasileira, sul-americana e mundial de natação. Em 1936, em Berlim, destacou-se como a primeira mulher no mundo a praticar o nado borboleta. Em 1939, fundou a Escola Nacional de Educação Física, na Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro. Foi recordista mundial dos 50 metros borboleta, na categoria até 80 anos.

JADE BARBOSA - Medalha de ouro nos saltos e bronze no solo no Pan do Rio, melhor atleta brasileira de 2007, primeira brasileira a levar uma medalha no Mundial de Ginástica.

DAIANE DOS SANTOS - Bicampeã mundial no solo, primeira brasileira campeã mundial de ginástica (2003 e 2006), primeira a executar o duplo twist carpado, salto de grande dificuldade, tem dois movimentos homologados com seu sobrenome, Dos Santos.

DANIELE HYPOLITO - Melhor colocação da ginástica brasileira nas Olimpíadas: em 2004, ficou em 12º no individual geral, primeira brasileira a subir no pódio de uma etapa da Copa do Mundo: em 2002, foi prata em Ghent, na Bélgica.

YANE MARQUES - Medalha de ouro no Pan, considerada um fenômeno do pentatlo: a previsão para se formar um atleta de elite é de dez anos. Com apenas quatro anos de prática, Yane é tida como uma das grandes promessas do esporte.

POLIANA OKIMOTO - Terceira colocada no ranking de maratona aquática da Federação Internacional de Natação (Fina), medalha de prata no Pan do Rio, vice-campeã mundial na maratona de 5km realizada na Itália, em 2006.

MAURREN MAGGI - Recordista sul-americana no salto em distância (indoor e ao ar livre), Duas vezes campeã pan-americana no salto em distância (Winnipeg/99 e Rio de Janeiro/07).

KEILA COSTA - Recordista sul-americana no salto triplo, duas vezes medalha de prata no Pan-Americano do Rio de Janeiro. Aos 24 anos, é tida como uma das grandes promessas do esporte.

FABIANA MURRER - Medalha de ouro no salto com vara no Pan-Americano do Rio de Janeiro, vista como uma atleta de grande potencial.

NATÁLIA FALAVIGNA - Campeã mundial júnior em 2000 Primeira brasileira campeã mundial de taekwondo (2005), Medalha de prata no Pan-Americano do Rio de Janeiro, foi quarta colocada nas Olimpíadas de Atenas, em 2004.

MARIA ESTHER BUENO, no tênis, MARIA ELIZABETE JORGE no halterofilismo, ADRIA SANTOS nos 200m deficientes visuais feminina, ADRIANA E SHELDA no vôlei de praia, SANDRA SOLDAN no aquatlo, ISABEL FICKER E LAURA ZANNI no iatismo, ANA PAULA CONNELLY E SANDRA PIRES TAVARES no circuito mundial, JULIANA E LARISSA no vôlei, BRANCA E BIA FERES no nado sincronizado, BETHANY HAMILTON, surfista já lembrada nesse blog, que ainda vence muitas competições, mesmo sem o braço esquerdo, vítima de uma fatalidade com um tubarão em 2003.
E também toda a equipe de Basquete feminina, o vôlei feminino, o futebol feminino, que cresce a cada competição que disputa.


Desculpem se esqueci de alguem. São tantas, com tantos títulos e alegrias.
Seria injusto não citá-las, portanto, parabéns pelo seu dia, mulheres.
Sem vocês, não seriamos nada.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Bola Parada – A volta dos velhos hábitos

Por Breno Marcos Rossi

Quem já foi rei (ou imperador) nunca perde a majestade.
Adriano agüentou o quanto pode, mas novamente, mostrou que de quietinho não tem nada e fez a polemica rolar solta para o lado do Morumbi. Brigou com comissão técnica, jogadores, jornalistas, saiu esbravejando do clube. Desestabilizou o império paulista, em um momento decisivo, de fina de estadual e classificação na Libertadores.

Adriando colocou seu nome novamente nas paginas esportivas, infelizmente, não de uma maneira benéfica, como fez tantas e tantas vezes no passado, quando ainda começava a ser um Imperador.
Hoje em dia, com o titulo romano, Adriano exige um respeito que não concede aos míseros plebeus, exige ser chamado pelo titulo que conquistou, e ao mesmo tempo exige que o esqueçam.


Salve Roma, o Imperador esta louco, e o império, em queda.
A dinastia do Interior surge e promete a salvação.
Quem viver, vera.


E o São Paulo que se cuide. Sempre tão conhecido por fazer ótimas contratações, visando sempre atletas com caráter e integridade, o tricolor andou pisando na bola ultimamente. Conta, em seu elenco, com pelo menos três jogadores com históricos bem problemáticos.
Problemáticos não quer dizer sem caráter e integridade. Longe de mim acusar quem não conheço. Apenas fico esperando e aconselho os antigos sábios tricolores a abrirem o olho e evitarem maiores problemas. Adriano já deu o ar da graça. Será que teremos novas surpresas com outras estrelas do elenco?

Enquanto Adriano surta, outros comemoram, e de um jeito bem inusitado.
Houve um tempo em que os gols eram o ápice para que os atletas pudessem satirizar e tirar sarro do outro time. Era divertido quando era a favor, dava raiva quando era contra. Quem não se lembra de Viola imitando o porquinho, contra o Palmeiras? Renato Gaúcho mandava a torcida se calar, gesto repetido muitas vezes por Romário e Edmundo. Tudo isso fazia da comemoração um atrativo a mais.
Esse tempo passou, e os gols se tornaram realizações pessoais. Eram comemorados sozinhos, de uma forma única, criada por cada jogador, ou comemorados com a torcida, técnico, reservas.
Agora o momento para tirar sarro está de volta. Souza, do Flamengo, comemorou um de seus gols chorando, satirizando a cena da final da Taça Guanabara, onde os jogadores e o presidente do Botafogo choraram na entrevista.
Pronto. Foi o que bastou para uma semana de polemicas e troca de farpas entre os jogadores dos dois times. Pessoalzinho sem humor, não?
No clássico paulista, entre Palmeiras e Corinthians, a comemoração chororo voltou nas mãos de Valdivia. Agora com menos polêmica e mais zueira.
E é assim que tem de ser. Futebol alegre, divertido e descontraído, sem ofensas, mas com uma provocação saudável. Espero ver mais e mais comemorações a la chororo.

Libertadores e redenção.
Se no paulistão, a hegemonia é do interior, na Libertadores, os grandes mostram serviço e deixam para trás as más campanhas. É o caso do Santos, que venceu o Chivas do méxico e tornou-se líder isolado do seu grupo, e do São Paulo, que venceu o Audax, com dois gols de Adriano, prometendo deixar toda a confusão no passado. O Fluminense também esqueceu a eliminação na semi final da taça Guanabara e bateu o atual campeão da Copa Sul Americana, o Arsenal da Argentina, por 6x0.

Veremos até onde irão os brasileiros na Competição Continental.
Boa sorte a todos.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Bola em Jogo – Roubando a atenção???

Por Breno Marcos Rossi

“Não adianta termos um futebol de primeiro mundo e uma arbitragem deficiente”. Essa foi a frase de Genaro Marino, diretor de futebol do Palmeiras, após a polêmica semana que se passou, em relação à Técnico – Time – Juiz.
O futebol está longe de ser excepcional. Ainda não somos primeiro mundo, por inúmeros motivos que iria desencaminhar o bom andamento do post, mas vale citar segurança (ou a falta de), torcidas (des)organizadas, dirigentes que mandam nos clubes, e por ai vai.
Mas Primeiro ou Terceiro mundo a parte, a questão que incomoda na semana é os erros de arbitragem.

No jogo Palmeiras x Rio Preto, Vanderlei culpou os árbitros pelo mau resultado, afirmando que ocorreram dois pênaltis - em Valdivia e Leandro. O lance envolvendo o chileno foi fatídico para Luxemburgo, que acabou sendo expulso por reclamação e por ofender o árbitro, essa ultima afirmação negada pelo treinador.
A súmula relata que Luxemburgo menosprezou o juiz, citando seus tantos anos de profissão, e deixando nas entrelinhas que o juiz seria um amador. Luxemburgo será julgado e pagar um alto preço pela ofensa.
No Rio de Janeiro, a final da Copa Guanabara também chamou a atenção. A vitória, de virada, do Flamengo, fez acender a chama da raiva em todos os botafoguenses, que insistem terem sido roubados pela arbitragem, que marcou um pênalti duvidoso contra o Bota e expulsou Zé Carlos. Tudo isso fez com que os jogadores do Botafogo criticassem a arbitragem e chorassem muito na coletiva.
Houve também, em São Paulo, um lance complicado para os homens de preto. Após cobrança de falta, a bola passou pela defesa da Ponte Preta e sobrou para Acosta, do Corinthians, fazer o gol. A arbitragem, porém, anotou impedimento do atacante uruguaio. Lance, esse, que não foi muito criticado e nem teve tanta repercussão quanto os de cima.

Mas vale a pena comentar. Por quê?
Ora, o assunto arbitragem está sempre voltando à tona. Lógico que os árbitros erram, como todo mundo. Muitas vezes, acabam ditando o resultado da partida, e isso é sim muito problemático. Mas temos que esfriar a cabeça e fazer uma análise imparcial de tudo isso.
Os juizes erram sim. Não marcam faltas, ou marcam errado, não marcam pênalti, ou marcam errado, não marcam impedimento, ou marcam errado, expulsa quem não deveria, ou não expulsa. Isso também faz parte do futebol. Os erros de jogadores ou da arbitragem é que dão um gostinho a mais para as discussões saudáveis de bar, e para a rivalidade dos torcedores.
Quantas vezes um jogador errou o pênalti, ou errou uma falta, ou um lance? E eles treinam para isso, treinam para acertar e não errar nunca. Mas erram. E porque os juizes não podem errar? Porque eles têm que ser uma raça perfeita?
É muito complicado tomar uma decisão no calor da batalha, no meio da confusão, com tantas vozes gritando sim ou não no seu ouvido. Às vezes, eles erram sim. Não posso e nem devo criticá-los por isso. Eu erro, e até você, internauta, também erra em seu trabalho.

Agora, vamos ver o outro lado. Os times prejudicados ficam com um gosto amargo na boa sim, e tem razão em pedir sempre pessoas profissionais e integras para apitar. Já tivemos muitos problemas com juizes nos últimos anos (vide Edílson Pereira de Carvalho), e devemos sim vigiar, mas não julgar um erro sem querer. Se os erros forem com toda a maldade do mundo, dou razão para os que reclamam. Inclusive, sou totalmente a favor de punição para esses “profissionais”, um gancho digno para que esses possam parar e pensar no que fez de ruim. Mas não podemos generalizar e tachar todos os juizes de mau caráter e incompetente.

Luxemburgo está muito errado de criticar a arbitragem. Quando criticam seu trabalho, ele sai de si. Então qual direito ele tem de criticar todo o resto do mundo esportivo, seja juizes, chefe da comissão, jornalistas?
Talvez ele esteja certo em relação aquela expulsão.
Talvez.
Mas ele não tem o direito de pedir a saída do Coronel Marinho da comissão de arbitragem, e nem dizer quem deve ou não ser escalado para os jogos. E pode chorar a vontade.

Como disse o próprio Coronel Marinho... O choro é livre.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Bola em Jogo – Baixas de Guerra

Por Breno Marcos Rossi

Ele nasceu em setembro de 1976, tem 31 anos e é um ótimo esportista. Ótimo não, ele já foi o número 1 do mundo, mas teve a carreira marcada por lesões, o que impediu marcas ainda mais significantes em sua vida.
Se pensou em Ronaldo, o fenômeno, acertou. Se pensou em Guga, tricampeão de Roland Garros, acertou também.
Os dois tem mais em comum do que poderiam imaginar. Duas historias distintas, que se interligam diversas vezes na história, infelizmente, por fatos tristes da vida. Dois atletas que cravaram seu nome no esporte mundial, mas que podem encerrar precocemente a carreira.
Um luta contra fortes dores no quadril, enquanto outro enfrenta problemas complicados nos dois joelhos.

Guga vai se aposentar esse ano, após lutar, sem pensar em desistir tão fácil, contra suas dores, e acabar caindo muito de produção nos últimos tempos. O tenista pensou, pensou e resolveu parar enquanto dá.
A história de Ronaldo é um pouco mais complicada, e ficou pior depois que foram levantadas suspeitas de que Ronaldo teria tomado produtos contendo substâncias proibidas no passado, durante sua passagem pelo futebol holandês. O médico responsável pelas acusações, Bernardino Santi, acabou sendo demitido do cargo de coordenador de doping da CBF.Teria o jogador sido submetido a drogas pesadas, para melhorar seus rendimentos, e acabar aos poucos com o corpo do mesmo?
Seria Ronaldo seu pior vilão?
Pior talvez, porque se essa história foi verídica, ele não é o único vilão. Pior pois acabou com si próprio. Mais um, pois participou, em conjunto, de uma violação de seu próprio meio de trabalho.

Independente do que houve realmente, é sabido que os atletas, hoje em dia, são exigidos ao máximo, treinando e jogando exaustivamente, ou pior, usando e abusando de artifícios que vai contra qualquer senso e ética profissinal, como drogas e anabolizantes, a fim de conseguir um resultado mais rápido e chegarem ao topo em questão de meses ou ano, e isso pode ocasionar problemas futuros, como foi o caso de Ronaldo, Guga, e de muitos outros. A formação correta de um atleta acaba ficando em segundo plano, pois o que importa nos dias atuais é a grande história final. Ou a pessoa é uma vencedora ou não. A competitividade não abre espaço para segundo e terceiro lugares, e a busca pela perfeição vira prioridade.

Quantos jogadores já sofreram ou sofrem com esse mal. Nilmar (Internacional), Lenny (Palmeiras), Kerlon (Cruzeiro), Obina (Flamengo), Pedrinho (ex-Santos), Denis (atual Santos), Van Persie, Robben, Owen.
Quanto tempo perdido longe dos gramados, para tratarem de lesões que poderiam ser evitadas?E até quando isso continuará?
Quando irão perceber que, por mais craques que sejam os atletas, eles são apenas humanos, e tem um tempo para adaptar-se ao meio em que se encontram. Do que adianta bancar Deus e querer que eles se tornem adultos da noite pro dia? Craques de milhões da noite pro dia?
E as conseqüências? Ninguém pensa nisso?

Hoje sei que Ronaldo pensa. Conhecido mundialmente, inúmeros prêmios, mas qual foi o preço a pagar por isso?
Torço, como todos, por uma recuperação rápida daquele que é um dos grandes nomes do futebol, e para aquele que ajudou a difundir mais ainda o tênis em um país onde a bola mais conhecida é aquela que rola nos gramados, pé após pé.
Torço para que eles se recuperem, e parem por cima. Eles merecem isso, por toda a alegria que já nos deram.
Torço também para que os verdadeiros culpados sejam punidos e que os próximos Gugas e Ronaldos estejam conscientes do limite de seus corpos.Acima de tudo, torço pelo esporte, para que ele não perca o brilho e possa sempre ter nos campos e nas quadras, estrelas como Guga e Ronaldo.



Em tempo.

Achei muito legal a iniciativa que alguns jogadores tiveram, e ainda vão ter, de homenagear o fenômeno. Ao marcarem um gol, saem comemorando com um dedo levantado. Marca registrada de Ronaldo.
É esse o espírito esportivo que tanto me agrada, assim como à todos.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Bola Parada - Europa é logo ali

Por Breno Marcos Rossi

Recebi um email muito legal, que vale a pena divulgar por aqui...

Os fãs do futebol no Brasil costumam reclamar da ausência de grandes craques e torneios importantes em solo nacional. Nos dias 16 e 17 de fevereiro, entretanto, os amantes do esporte presentes na capital paulista estarão mais próximos do que há de melhor no mundo da bola.
Isso porque, nesses dois dias, ficará exposta no Jockey Club de São Paulo a turnê da Liga dos Campeões da UEFA. O evento é promovido pela Heineken e terá, além de uma série de objetos em exibição, filmes sobre o torneio e atividades que interagem com o público. Será possível participar de um pebolim humano, de shows de acrobacias com bola, entre outros jogos interativos.
Mas o que realmente deve atrair as pessoas à turnê é o “acervo” reunido. A mostra conta, por exemplo, com uma camisa do Barcelona usada por Ronaldinho na final da Liga dos Campeões de 2005/2006 e com a chuteira calçada por Kaká, do Milan, na decisão de 2006/2007. Depois de ver tudo isso, o visitante ainda tem a chance de tirar uma foto ao lado da taça dessa que é uma das maiores competições internacionais do mundo.

O Serviço Turnê da Liga dos Campeões da UEFA fica no Jockey Club São Paulo, na Avenida Lineu de Paula Machado, 1263, Cidade Jardim. E funciona das 12h às 20h .

E o melhor... a entrada é gratuita


Ps: Para os que estão sentindo falta dos jogos de sábado, prometo que na próxima semana tentaremos voltar com isso também.
Estamos em débito com vocês, galera.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Bola em Jogo – Crime organizado

Por Breno Marcos Rossi

Um fato recente chamou a atenção de todos para um problema que vem se arrastando por décadas, e que, infelizmente, só volta a tona alguém é ferido gravemente ou pior, acaba morto.
A guerra entre torcedores.
Em Minas, um torcedor do Cruzeiro, Lucas Ellera, foi covardemente agredido por torcedores do Atlético-MG. As filmagens mostraram Lucas sendo espancado, caído no chão, com chutes e pauladas no rosto. O torcedor teve os dentes quebrados, lábios e rosto cortados, além de afundamento de crânio.
Já Samuel de Souza Tobias, torcedor do Galo, teve um mal súbito e faleceu, ao se deparar com cruzeirenses.

Dois incidentes sérios, que fez reacender a discussão sobre as torcidas organizadas.
Até quando, não se sabe. Mas a certeza é de que nada será decidido e/ou resolvido.

É quase impossível enumerar as brigas entre organizadas. Mas muitas ficam na cabeça, até como um lembrete de como as pessoas podem ser más, agir como animais irracionais, e para nos fazer pensar mil vezes antes de irmos à um clássico, ou sequer sair na rua com a camisa do nosso time, que tanto amamos.
Uma das mais sérias brigas foi a do Pacaembu, durante a Copa São Paulo, entre torcedores de Palmeiras e São Paulo. Com bandeiras, ferro, armas brancas arranjadas no calor do momento, muitas pessoas se feriram e morreram. Cenas fortes foram passadas exaustivamente por todos os veículos de comunicação, alertando e assustando a população.
Palmeiras e Corinthians também já protagonizaram inúmeras cenas lastimáveis. Uma delas, na estação de metrô, deixando muitos feridos.
Uma briga entre torcidas organizadas do Botafogo e do Fluminense resultou na morte de uma pessoa e em ferimentos em outras duas, antes de uma partida dos times na Copa Sul-Americana. Uma das vítimas levou um tiro no peito.
O orkut, site de relacionamento, também é uma ferramenta bastante usada para agendar brigas entre os torcedores. Muitas vezes, a polícia age a tempo e impede uma chacina, outras, temos que presenciar mais uma complicada situação.

Não acho certo generalizar a torcida organizada. Existem pessoas com boas intenções que querem fazer do grupo de torcedores uma família. Inventam músicas, encontros, fazem amizades.
Mas infelizmente, nem tudo são flores, e existe o outro lado da moeda. As pessoas que estão dentro das organizadas com um único objetivo:
Brigar.
Querem fazer da organizada um objetivo deturpado, o de uma gangue.

E caso as autoridades não pararem, pensarem e tomarem uma grande atitude, esse lado negro das torcidas irão, infelizmente, alcançar o que almejam. Para o triste fim do esporte.


Tudo isso me lembrou um filme interessante.
Em Hooligans, um americano, interpretado por Elijah Wood, vai para Londres e faz amizade com torcedores do futebol inglês, os chamados Hooligans, e passa a viver com eles e como eles.



Espero, de coração, que a torcida brasileira não siga a inglesa, e olha que estamos no caminho para ver isso acontecer.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Bola Parada – Campanha para um mundo melhor.

Por Pepe Norriebo

Falta feia na área...
Pepe Norriebo de volta, trazendo piadas tão reforçadas de humor negro (negro não, porque a moda é latino) quanto o Santos, que finge se reforçar, enquanto a torcida finge que acredita.
Marcelo Teixeira, que conta com o apoio de 0,01% dos Santistas atualmente, em uma grande jogada de marketing trouxe o colombiano Molina, o Chileno Sebástian Pinto, e o equatoriano Michael Jackson Quiñonez, esse último serve para fazer uns showzinhos extras, causar umas polêmicas, e assim tirar a atenção da mídia em cima de Teixeira.
É um gênio.
O único problema é Michael Jackson começar a molestar os novos meninos da Vila. Um risco que Teixeira resolveu correr ao contratar o cantor jogador.

Mas uma pergunta fica no ar. Onde estava o São Paulo quando deixou que o Santos contratasse Sebástian Pinto. Afinal de contas, de Pinto o Tricolor entende, e tenho certeza que Richarlyson, voltando da seleção, dará “piti” quando souber que o Pinto escapou tão fácil de seu alcance.
E o Corinthians, hein? Novo ano, novos jogadores (nenhum muito bom mesmo) e nova camisa. Desta vez, nada de dourado, branco, preto. Corintiano que é corinthiano usa roxo mesmo.
Mas porque roxo?
a) Já apanha de todo mundo mesmo, pelo menos um roxo na camisa disfarça um pouco.
b) A situação ta preta, mas preto o Corinthians já tem nas cores. Ahhh, então vai roxo mesmo.
c) Camisa roxa como todo torcedor... Roxo de raiva.
d) Já que o Corinthians está sem grana, e o roxo era o tecido mais em conta que havia. Vai roxo mesmo. Ninguém vai notar a diferença.
Reza a lenda que o São Paulo já preparou seu marketing e irá contra atacar com uma camiseta roxo claro, para alguns, chamada também de rosa.

Agora vamos ter um momento de seriedade nesse blog. Um momento para pensar e refletir sobre os problemas do mundo.
Tantas ONGs surgem a todo o momento por aí, e diversos movimentos a favor da natureza, dos gays (Ricky who??), dos animais, das mulheres, e eu, com consciência em fazer o melhor para o mundo, lanço aqui um importante movimento.
Mas antes, uma breve introdução.
SuperBowl. Grande evento americano. Giants contra Patriots. Patriots não havia perdido nenhum jogo e era o favorito.
Mas...
Ahhhhhhh, perdeu playboy.
O improvável aconteceu e o New York Giants conquistou a vitória em uma virada (ui, calma Ricky) espetacular a 39 segundos do fim do jogo.
Sabe o que foi mais interessante? Gisele Bundchen, tão confiante de que o time de seu namorado Tom Brady venceria, teria dito e prometido que sairia nua pelas ruas em caso de uma derrota. A derrota aconteceu, e Gisele deu pra trás (caaaalma Ricky).
Por isso, lanço aqui um movimento e campanha de suma importância.

GISELE NUA JÁ...

Prometeu, tem que cumprir.
Vamos pegar nossos cartazes, parar a Paulista, pintar o rosto, divulgar na internet, mandar recado pra todo mundo, assim, a campanha se tornará mundial e poderemos ver mais do que o Tom vê sempre, mesmo sendo um loser.
GISELE NUA JÁ. Libere essa idéia você também.
Gisele, cumpra sua promessa, e aprenda a economizar àgua também, pelo bem do planeta.

Bola em Jogo – Corrupção na Fifa

Por Breno Marcos Rossi

Prometido. Cumprido.
Veremos as quatro partes do ótimo documentário desvendando uma parte da corrupção dentro da Federação maior do futebol.
Vale a pena assistir.
Vejam rápido, antes que tirem novamente do ar.



Parte 1
[



Parte 2



Parte 3



Parte 4

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Bola em Jogo – Invasão Latina

Por Breno Marcos Rossi

Houve um tempo em que os craques brasileiros davam show no país e identidade a um clube. Pelé, Sócrates, Romário, Edmundo, Evair, Zico, Garrincha, Marcelinho, Raí, Giovanni, Sávio... Enfim, os nomes e rostos são muitos, ainda visíveis na memória dos mais saudosistas.
Esse tempo passou.
Hoje em dia, basta qualquer jogador mediano se destacar em algumas partidas, para que um time europeu venha com rios de dinheiro e seduza o atleta para o velho continente. O que dizer então dos craques de bola, jogadores como Breno, Pato, Lucas... Esses, se ficarem duas ou mais temporadas no time brasileiro que os revelou, já é muito.
Os jogadores estão migrando cada vez mais jovens para os times europeus, e deixando um vácuo enorme no futebol brasileiro, transformando o esporte bretão em uma modalidade sem sal e emoção.Qual seria a única alternativa viável para os clubes brasileiros, que não tem dinheiro para pagar muito bem um jogador, muito menos para cobrir uma proposta dos milionários clubes do outro lado do mundo?
Ser uma Europa genérica, em termos de dinheiro, e seduzir os jogadores de outros países, onde os salários são menores que o nosso. E podemos encontrá-los ali do lado, na Colômbia, Venezuela, Chile, Bolívia, Equador.
O Euro é muito forte para o Real. Mas o Real é muito forte para o Peso. Só para ter uma idéia, um dos jogadores mais bem pagos no Peru até o ano passado era Jorge Soto, que ganhava 20 mil dólares, ou seja, menos de 40 mil reais. Um dos técnicos mais cogitados e que dirigiu a seleção peruana, Juan Carlos Oblitas, ganha mais ou menos 40 mil dólares, ou 80 mil reais.
A América do sul é o caminho...

Foi pensando assim que os clubes brasileiros foram às compras e retornaram com o maior número de estrangeiros já vistos nos times regionais.
Antigamente havia um ou outro, apenas um nome, às vezes desconhecido, para reforçar uma equipe. Lugano no São Paulo, Maldonado no Cruzeiro, Petkovic no Flamengo, até achávamos muito quando vimos Tevez, Sebá e Mascherano no Corinthians.
Hoje em dia, três é pouco.
O pacotão para esse ano, do próprio Corinthians, por exemplo, trouxe Acosta, Suarez e Herreira. No Palmeiras temos Valdívia. O Santos trouxe recentemente o colombiano Molina, o equatoriano Michael "Jackson" Quiñonez e o chileno Sebastian Pinto.
No Rio, a constelação de estrangeiros é maior ainda. O Botafogo trouxe o goleiro Castillo, Ferreiro, Escalada. No Flamengo, encontramos Maxi, Gavilán, Colace. O Fluminense tem Conca. O Macaé vem com o camaronês Steve. O Vasco conta com o nigeriano Abu e o chileno Villanueva. O Madureira tem o sul-coreano Eloi e o mexicano Afonso.

Com a globalização cada vez mais freqüente no mercado do futebol brasileiro, está mais do que na hora de nossos jornalistas e profissionais do mundo da bola aprender outra língua, que em breve pode se tornar a oficial... O espanhol.

Bola Parada - Voltamos a nossa programação normal

Por Breno Marcos Rossi

Caros,
Obrigado a todos pela paciência e pela espera. Muitos problemas acabaram me afastando do blog, e consequentemente, ficamos sem as colunas de nossos estimados colaboradores.
Se Deus quiser, agora a volta da nossa programação normal é definitiva, sempre com muita notícia, artigos, novidades, jogos, humor e dedicação máxima a todos vocês, que fazem desse blog um dos que mais crescem na internet.
Desculpe novamente pelo hiato de tanto tempo. Prometo me esforçar ao máximo para fazer o blog voltar a toda, e oferecer a todos vocês mais do melhor sempre.
Obrigado.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Bola Parada - Calma, Pessoal

Por Breno Marcos Rossi

Aos amantes do esporte que sempre estão por aqui....

Pedimos um pouco de paciência pela falta de postagens. Em alguns dias, tudo voltará ao normal e poderemos continuar nosso tour pelo mundo do esporte.
Obrigado pela atenção de todos, e até breve...

Equipe Tá em Jogo

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Bola Parada – Colírio para os olhos

Por Pepe Norriebo

Falta feia na área... Pepe Norriebo de volta com a língua afiada, versão 0.8.

Depois do técnico jogador, está pra surgir uma nova espécie no futebol, o torcedor jogador. Pelo menos é o que deseja a torcida do Guarani.
Cansados (ainda?) de ver o time se dar mal nas competições, a torcida do bugre quer entrar em campo e mostrar que sabe jogar. Desafiaram os atletas para uma “amistosa” partida, e exigem que, caso ganhem, os craques torcedores sejam contratados e joguem o Paulista, no lugar dos atuais titulares.
Fantástico. Se essa moda pega, o que vai ter de torcedor campeão do inter-ruas querendo jogar no time do coração, não vai ser brincadeira. O pessoal vai começar a ir ao estádio de chuteira e calção ao invés de bandeiras.
Apesar de que tem jogadores por aí que eu garanto ter caído de pára-quedas no futebol. Até minha avó Gerafonsa joga melhor.
E ela ainda se locomove com um andador.

Eu, por exemplo, sou melhor que muito gandula por aí. Então quero usar meu espaço para reivindicar meu direito de recolocar a bola em jogo com categoria. Hahahaha.

Mas quero é usar meu espaço para falar de uma coisa de extrema importância para o esporte. Muito mais fundamental do que os atletas, a comissão técnica, uma bola, uma quadra... São as Cheerleaders.
Uma ótima iniciativa do Boavista (que faz jus ao nome, com cada uma das garotas) foi colocada em prática no jogo contra o Flamengo. Apesar da derrota, o Boavista surpreendeu e venceu com sobras, fora de campo.
Comum nos eventos esportivos americanos, um grupo de oito mulheres vestidas de verde foi de cheerleaders do clube. Elas se apresentaram no gramado do estádio antes da entrada dos jogadores em campo e durante o intervalo, fazendo os marmanjos esquecerem porque estavam no estádio. Inclusive, cinco deles receberam bolsadas de suas respectivas namoradas, presentes no evento.
Coitados...

Uma das bailarinas, emocionada, comentou:
- A energia é maravilhosa. Já dancei em diversos estados pelo Brasil, na Europa, mas Maracanã é Maracanã, nunca vi nada igual. Foi emocionante demais.

Por que será, né? Por quê?



segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Tabelando – Altos e baixos do esporte

Por Breno Marcos Rossi

Reviravoltas
O futebol nunca cansa de nos surpreender. Outrora, dois desafetos assumidos, hoje quase trocaram juras de amor. Trata-se de Edmundo e Romário, que já tiveram um passado conturbado, mas a partir de hoje serão jogador e treinador. Inclusive, o baixinho foi o responsável pela volta do animal à Gávea.
Coisas do futebol.

Troca de favores
Dizem as más línguas que nunca um precisou tanto do outro como hoje em dia. Romário, como técnico, não anda lá tão bem, e precisa da ajuda do bom futebol do animal, para vencer e convencer. Já Edmundo, dispensado do Palmeiras, vê no Vasco uma chance de ouro para conseguir novamente jogar futebol por um time grande e de expressão.

O homem biônico
No jogo contra o Boavista, pelo Carioca, o meia Renato Augusto, do Flamengo, se chocou com o zagueiro adversário e levou a pior. Resultado: Foi submetido a uma operação para reestruturar os ossos do rosto. Ganhou de presente 3 placas de titânio e nada mais, nada menos do que 11 parafusos. A operação foi um sucesso.

Bruxa a solta
O começo dos estaduais andam bem conturbados. Além de Renato Augusto, que deve ficar de molho até março, Kleber, do Santos, também ficará um tempo ainda sem jogar, devido à contusão. Diogo é outro que desfalcará a Lusa por culpa de uma lesão. Danilinho se contundiu em jogo treino e pode não entrar em campo pelo Atlético-MG. Todos grandes jogadores, que farão falta nos respectivos times.

Gigantes do mar
Rodrigo Resende e Yuri Soledade ficaram em segundo, e Eraldo Gueiros e Everaldo "Pato" Teixeira terminaram em terceiro na competição de ondas gigantes disputada em Lincoln City, no Oregon, EUA. Os surfistas, além de encararem ondas de quase 15 metros, tiveram que suportar a temperatura da água (entre 4 a 10 graus) e torcer para não encontrar nenhum dos tubarões brancos no local.
O surf, em algumas vezes, consegue ser o esporte mais radical de todos.

Sensação
Jelena Jankovic já é o grande nome do Australian Open, ao derrotar a poderosa Serena Williams. Já o espanhol Rafael Nadal pode quebrar a marca do lendário ex-jogador americano Pete Sampras de segundo maior pontuador da ATP, se vencer nesta terça-feira o finlandês Jarkko Nieminen, pelas quartas-de-final do Aberto da Austrália, a motivação dará ainda mais emoção para o torneio.
A única mancha realmente fica por conta da torcida, que atrapalha o evento com inúmeras brigas, como foi o caso do último dia 15, onde a partida entre Fernando Gonzalez e Konstantinos Economidis foi interrompida durante o segundo set por conta de um tumulto envolvendo três torcedores gregos na arquibancada. A polícia interviu com spray de pimenta para encerrar a confusão.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Bola Parada – É apenas o começo...

Por Breno Marcos Rossi

Começou a guerra civil.
Em cada estado, uma batalha diferente.
Hoje começa o Carioca, com a promessa de grandes batalhas, já que Fla-Flu volta a ter aquele grande status de antigamente, com ambos reforçados e dentro da Libertadores.
No Paulistão, nenhuma grande surpresa. Dos grandes, apenas o Santos decepcionou – algo que já era esperado por muitos. Luxemburgo e seu time “de grana” (de acordo com Leão) venceram, o império de Muricy convenceu no primeiro teste, os “manos” do Corinthians mostraram que passado é passado.
E hoje tem mais.

Falando em hoje, ontem não foi postado o jogo da semana, e desta vez, foi falha deste que vos escreve mesmo. Portanto, creio que o jogo da semana passa de sexta para sábado em definitivo.


http://www.directgamez.com/flash/sidekick.htm

Bom final de semana a todos...